gtoangola

A carregar...

Grupo de Teatro do Oprimido de Angola

1. Metodologia do Teatro do Oprimido:

O Teatro do Oprimido é um método estético que sistematiza Exercícios, Jogos e Técnicas Teatrais que objectivam a desmecanização física e intelectual de seus praticantes, e a democratização do teatro.

O TO parte do princípio de que a linguagem teatral é a linguagem humana que é usada por todas as pessoas no quotidiano. Sendo assim, todos podem desenvolvê-la e fazer teatro. Desta forma, o TO cria condições práticas para que o oprimido se aproprie dos meios de produzir teatro e assim amplie suas possibilidades de expressão. Além de estabelecer uma comunicação directa, activa e prepositiva entre espectadores e atores.

2. Técnica do TO mas usada em Angola:

Teatro - Fórum, onde a barreira entre palco e plateia é destruída e o Diálogo implementado. Produz-se uma encenação baseada em fatos reais, na qual personagens oprimidos e opressores entram em conflito, de forma clara e objectiva, na defesa de seus desejos e interesses. No confronto, o oprimido fracassa e o público é estimulado, pelo Curinga (o facilitador do Teatro do Oprimido), a entrar em cena, substituir o protagonista (o oprimido) e buscar alternativas para o problema encenado.

Os problemas são transformados em perguntas, as quais serão respondidas por meio de intervenção dos espectadores: O que você faria se estivesse nesse contexto vivendo a situação encenada? Como você evitaria o problema? Qual seria a sua atitude para resolve-lo? Como se comportaria diante do Opressor?

3. Introdução ao Grupo:

Grupo de Teatro do Oprimido de Angola, mas adiante designado por GTO-Angola, uma organização cultural fundada aos 12 de Setembro de 2006, fruto de uma formação realizada pelo Ministério da Educação e teve como apoio financeiro UNICEF, esta mesma, contou com a presença de 32 actores, representados por 4 províncias, sendo: Luanda, Malanje, Huíla e Benguela. A formação teve como pré-leitor o Sr. Alvim Cossa de nacionalidade Moçambicana, coordenador e curinga do GTO-Maputo.

Desta, faz do GTO-Angola, único grupo Angolano, membro permanente da rede internacional de Teatro do Oprimido do Brasil CTO-Rio na Coordenação de Barbará Santos e Helem Sarapeck, que congrega em si, mais de 90 países em todo mundo, onde tem trocado experiencias com vários parceiros internacionais, como também pode receber instruções e actualizações sobre as novas práticas e realizações do TO pelo mundo em particular no continente Africano.

4. Sede:

O GTO-Angola, tem a sua sede, na província de Luanda no Município da Maianga, avenida ho-chi-Mim, Largo das Escolas, Escola Ngola Kiluanje - Anfiteatro Nº 2

5. Contacto:

E-mail: ntoangola@yahoo.com.br
Tel: 925 333 176, 923 580911
Stt: www.ctorio.org


6. Corpo Directivo:

• Coordenado Geral: Aníbal Samarigi,
• Direcção Artística: Lourenço Mateus,
• Gestão e Finanças: Flávio Dumba,
• Projecto e Programas: Josémar Cândido

7. Principais Projectos e Actividades:

• Projecto Teatro Fórum nas Escolas
• Projecto Sábado de Teatro Fórum
• Programa Teatro do Oprimido nas Salas

8. Temas de maiores destaques:

• VIH-SIDA
• Violencia do Mestica
• Violencia Contra Crianaça
• Deliquencia Juvenil
• Direitos Humanos e outros

Sem comentários:

Enviar um comentário