gtoangola

Grupo de Teatro do Oprimido de Angola

1. Metodologia do Teatro do Oprimido:

O Teatro do Oprimido é um método estético que sistematiza Exercícios, Jogos e Técnicas Teatrais que objectivam a desmecanização física e intelectual de seus praticantes, e a democratização do teatro.

O TO parte do princípio de que a linguagem teatral é a linguagem humana que é usada por todas as pessoas no quotidiano. Sendo assim, todos podem desenvolvê-la e fazer teatro. Desta forma, o TO cria condições práticas para que o oprimido se aproprie dos meios de produzir teatro e assim amplie suas possibilidades de expressão. Além de estabelecer uma comunicação directa, activa e prepositiva entre espectadores e atores.

2. Técnica do TO mas usada em Angola:

Teatro - Fórum, onde a barreira entre palco e plateia é destruída e o Diálogo implementado. Produz-se uma encenação baseada em fatos reais, na qual personagens oprimidos e opressores entram em conflito, de forma clara e objectiva, na defesa de seus desejos e interesses. No confronto, o oprimido fracassa e o público é estimulado, pelo Curinga (o facilitador do Teatro do Oprimido), a entrar em cena, substituir o protagonista (o oprimido) e buscar alternativas para o problema encenado.

Os problemas são transformados em perguntas, as quais serão respondidas por meio de intervenção dos espectadores: O que você faria se estivesse nesse contexto vivendo a situação encenada? Como você evitaria o problema? Qual seria a sua atitude para resolve-lo? Como se comportaria diante do Opressor?

3. Introdução ao Grupo:

Grupo de Teatro do Oprimido de Angola, mas adiante designado por GTO-Angola, uma organização cultural fundada aos 12 de Setembro de 2006, fruto de uma formação realizada pelo Ministério da Educação e teve como apoio financeiro UNICEF, esta mesma, contou com a presença de 32 actores, representados por 4 províncias, sendo: Luanda, Malanje, Huíla e Benguela. A formação teve como pré-leitor o Sr. Alvim Cossa de nacionalidade Moçambicana, coordenador e curinga do GTO-Maputo.

Desta, faz do GTO-Angola, único grupo Angolano, membro permanente da rede internacional de Teatro do Oprimido do Brasil CTO-Rio na Coordenação de Barbará Santos e Helem Sarapeck, que congrega em si, mais de 90 países em todo mundo, onde tem trocado experiencias com vários parceiros internacionais, como também pode receber instruções e actualizações sobre as novas práticas e realizações do TO pelo mundo em particular no continente Africano.

4. Sede:

O GTO-Angola, tem a sua sede, na província de Luanda no Município da Maianga, avenida ho-chi-Mim, Largo das Escolas, Escola Ngola Kiluanje - Anfiteatro Nº 2

5. Contacto:

E-mail: ntoangola@yahoo.com.br
Tel: 925 333 176, 923 580911
Stt: www.ctorio.org


6. Corpo Directivo:

• Coordenado Geral: Aníbal Samarigi,
• Direcção Artística: Lourenço Mateus,
• Gestão e Finanças: Flávio Dumba,
• Projecto e Programas: Josémar Cândido

7. Principais Projectos e Actividades:

• Projecto Teatro Fórum nas Escolas
• Projecto Sábado de Teatro Fórum
• Programa Teatro do Oprimido nas Salas

8. Temas de maiores destaques:

• VIH-SIDA
• Violencia do Mestica
• Violencia Contra Crianaça
• Deliquencia Juvenil
• Direitos Humanos e outros

3 comentários:

  1. olá! Sou professora de história e multiplicadora de teatro do oprimido em Belo Horizonte/Brasil. De março a julho estarei em Cabo Verde pela Uni-Cv, pesquisando sobre o teatro e gostaria de ter a oportunidade de trocar experiências com vocês.
    Como poderíamos manter contato?

    abraços!
    Mar

    ResponderEliminar
  2. boa tarde!

    ainda estão activos?

    obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre estaremos activo, uma vez Gto, Gto para sempre. Deus no comando, estamos sim activo.

      Eliminar